Dividendos são simpáticos, mas…

dividendos

Partilhe este artigo

…têm alguns problemas e não são tudo.

Escrevo este texto principalmente para aqueles investidores que pensam que as empresas valem por aquilo que pagam aos acionistas sob a forma de dividendos.

Estes investidores consideram que ao comprar ações “investiram” e depois querem o “retorno” desse investimento, recebendo dividendos com periodicidade trimestral ou anual.

É como se tivessem feito um empréstimo, ou comprado obrigações.

Para estes investidores o rácio mais importante – e por vezes o único que consideram relevante – é este:

Dividend Yield = Dividendo por Ação / Cotação

Normalmente é expresso em percentagem e quanto mais alto… melhor.  

Não digo que este rácio não seja importante, mas, como todos os rácios, não pode ser considerado isoladamente e tem alguns problemas, nomeadamente:

1º – Algumas das empresas mais valiosas do mundo nunca pagaram um dividendo

Empresas como Amazon, Alphabet (Google), Tesla, Meta (Facebook), Berkshire Hathaway e PayPal, por exemplo, nunca pagaram dividendos e não se espera que venham a pagar no futuro. Isso não impede que valham trillions no mercado.

2º – Dividendos são pouco eficientes do ponto de vista fiscal

Na Demonstração de Resultados, perto da bottom line , está o Resultado Antes de Impostos (RAI). A esse RAI é subtraído o IRC a pagar e na linha de baixo temos o Resultado Líquido ou, caso seja positivo, o Lucro.

Se o Lucro ficar retido na empresa, o Estado não recebe mais nada. Mas se o Lucro for distribuído pelos acionistas sob a forma de dividendos, esses acionistas vão ter de pagar IRS sobre esse rendimento.

Existe então uma dupla-tributação sobre o mesmo rendimento: primeiro a empresa paga impostos sobre lucros e depois os acionistas pagam impostos sobre dividendos.

Esta é a principal justificação pela qual a Berkshire Hathaway de Warren Buffett nunca pagou um dividendo na sua longa história.

3º – A cotação ajusta negativamente

Esta vem num bom timing para aqueles investidores iniciados que se estão a preparar para caçar dividendos na época que está prestes a abrir.

A caça aos dividendos é nefasta e não é porque estão em vias de extinção.

É porque quando as empresas pagam dividendos, ficam sem o dinheiro e por isso… valem menos!

Na data ex-dividendo, que é quando as ações deixam de dar direito ao dividendo, os investidores aparecem a comprar/vender as ações mais baixo, ajustando a procura/oferta a um valor menor.

Quanto menor? Normalmente a cotação ajusta negativamente no mesmo valor do dividendo bruto por ação, enquanto que os investidores sõ recebem o valor líquido.

Um exemplo para que se perceba:

O investidor A compra a ação XPTO a 20 €, que vai pagar um dividendo de 1 € por ação. Na data ex-dividendo, a XPTO abre a 19 € e o investidor A recebeu 1 €? Não, só recebeu 0,72 € porque entretanto o banco/corretora reteve 0,28 € por ação para entregar ao Estado.

Mas porquê que a cotação desce de 20 € para 19 € na data ex-dividendo? Então, porque saiu 1 € por ação da empresa, ela vale menos 1 € por ação!

4º – Dividendos dimínuem o Capital Próprio

O montante pago em dividendos – ou aplicado em compras de ações próprias – é diminuído ao Capital Próprio, que é sinónimo de Book Value, ou Valor Contabilístico.

Isto é mau para os investidores que consideram o rácio Price to Book Value importante.

Mas, é curioso, é bom para os investidores que dão relevância ao Return On Equity (ROE), porque o Equity (outro sinónimo de Capital Próprio) diminui, o que faz aumentar o ROE.

5º – Balanço enfraquecido

Eu entendo e até aprecio que uma empresa bastante lucrativa, com um Balanço saudável, tenha um Pay Out Ratio perto de 50%, isto é, distribua cerca de metade do seu lucro pelos acionistas sob a forma de dividendos.

Agora, o que tenho mais dificuldade em perceber são aquelas empresas que têm negócios com riscos evidentes, que têm um balanço profundamente desequilibrado e que mesmo assim pagam dividendos gordos aos acionistas. A ex-Portugal Telecom é um exemplo paradigmático de uma situação destas que correu mal… ainda que tenha sido mais por outros fatores (fusão com a brasileira Oi a preços absurdos) que pelos dividendos.

Os dividendos dos CTT também pouco valeram aos investidores quando a cotação, entre 2015 e 2019, caiu 83%!

Como vimos pagar dividendos diminui o Capital Próprio e isso pode fazer disparar rácios de endividamento como o Debt to Equity Ratio.

Em suma, os dividendos não são intrinsecamente maus, mas também não são intrinsecamente bons e é preciso ter consciência destas desvantagens dos dividendos.

Ler outros Artigos

Investidor analisa um relatório
Escola da Bolsa

Como (e porquê) obter o Número de Ações Emitidas

Começamos por explicar porque é importante saber o número de ações emitidas: As bolsas de valores servem, em primeira instância, para financiar as empresas cotadas; Uma das formas de financiamento

Uma pessoa de braços estendidos e mãos em concha voltadas para cima, com diversas figuras digitais, humanas, sobre as mãos.
Escola da Bolsa

A Equipa de Gestão: COB, CEO e CFO

As empresas são lideradas por Equipas de Gestão e a sua influência do sucesso da empresa é determinante! Conhecemos vários líderes icónicos, como Jeff Bezos, Elon Musk ou o falecido

Calcular a CAGR - Taxa Média Anual de Retorno
Escola da Bolsa

Como calcular a Taxa Média Anual de Retorno

A Taxa Média Anual de Retorno (em inglês CAGR, sigla que significa Coumpounded Annual Growth Rate) é extremamente útil para qualquer investidor. É utilizada, por exemplo, para aferir o desempenho