Alavancagem: Fortuna ou Ruína?

Pessoa utiliza o indicador para manter em equilíbrio um dos lados de um balancé, compensando o peso de diversas moedas empilhadas.

Partilhe este artigo

No contexto de Investimento, Alavancar significa investir com mais dinheiro do que se tem.
Pode até parecer-lhe uma ideia teoricamente interessante, mas, na prática, a Alavancagem pode ser devastadora para si! Vejamos porquê:
Alavancagem = Capital Investido / Capital Próprio
Quando dizemos que um Investidor está alavancado “duas vezes”, significa que o Capital Investido (CI) é o dobro do que o seu Capital Próprio (CP). Por exemplo, se tiver 10 000€ poupados mas, se através de crédito bancário, empréstimo da corretora, cartões de crédito, produtos exóticos como CFDs e afins, etc, obtivermos outros 10 000€ para investir, quão alavancado fica?
Alavancagem = CI / CP = (10 000€ + 10 000€) / 10 000€ = 20 000€ / 10 000€ = 2
Ou seja, está alavancado “duas vezes”.
Parece boa ideia, certo? Pode maximizar as suas oportunidades de ganho, em que um ganho potencial de 50% do seu capital, torna-se efetivamente um ganho de 100%. O lado do upside fica muito apelativo! Mas há o lado negro da Alavancagem: o downside.
Ficará muito mais exposto a variações negativas do seu portefólio e, quanto maior a sua alavancagem, menor a desvalorização do portefólio necessária para o levar a zeros (!). A tabela seguinte mostra-lhe, em função da alavancagem, qual a desvalorização necessária para erradicar o seu capital:
Um último argumento para reforçar esta opinião contrária à Alavancagem: psicologia do Investidor. Como Investidores estamos atualmente muito expostos ao excesso de informação sobre os nossos investimentos. Informação é excelente, mas quando é excessiva torna-se desinformação e é nociva para um aspeto essencial do investimento: a mentalidade de longo prazo.
Raros são os investidores que não consultam o desempenho do seu portefólio regularmente. Agora suponha: se estivesse duas vezes alavancado, como se sentiria ao deparar-se com uma perfeitamente comum variação de -20% do seu portefólio? O argumento é que a Alavancagem vai afetar a sua mentalidade, e poderá deixá-lo mais ansioso e inseguro com as suas decisões, provocar o overtrading ou o abandono prematura de posições que, no longo prazo seriam vencedoras, mas o receio (real) de ruína no curto prazo provocou a sua saída.
Portanto: uma alavancagem elevada irá, com algum azar, destruir as suas poupanças. Uma alavancagem reduzida, tem potencial para lhe trazer algum upside, mas também para danificar severamente o seu capital. Compensa? Entendemos que não.
Defendemos: não alavanque. Trabalhe, sim, a sua mentalidade de longo prazo! Investir é uma maratona, não um sprint.

Ler outros Artigos

Investidor analisa um relatório
Escola da Bolsa

Como (e porquê) obter o Número de Ações Emitidas

Começamos por explicar porque é importante saber o número de ações emitidas: As bolsas de valores servem, em primeira instância, para financiar as empresas cotadas; Uma das formas de financiamento

Uma pessoa de braços estendidos e mãos em concha voltadas para cima, com diversas figuras digitais, humanas, sobre as mãos.
Escola da Bolsa

A Equipa de Gestão: COB, CEO e CFO

As empresas são lideradas por Equipas de Gestão e a sua influência do sucesso da empresa é determinante! Conhecemos vários líderes icónicos, como Jeff Bezos, Elon Musk ou o falecido

Calcular a CAGR - Taxa Média Anual de Retorno
Escola da Bolsa

Como calcular a Taxa Média Anual de Retorno

A Taxa Média Anual de Retorno (em inglês CAGR, sigla que significa Coumpounded Annual Growth Rate) é extremamente útil para qualquer investidor. É utilizada, por exemplo, para aferir o desempenho